domingo, 25 de julho de 2010

I Hate Presentations; James Coplin


Quando li o trabalho de Garr Reynolds em seu best-seller mundial Presentation Zen, fiquei admirado com a qualidade dos conselhos e dicas que ele passa sobre como desenvolver melhores apresentações, principalmente na questão do design dos slides.

James Coplin volta o processo um passo atrás e escreve seu livro sobre como preparar apresentações no sentido de elaboração do conteúdo e principalmente, como apresentar esse conteúdo. Para isso ele nos introduz a uma série de ferramentas simples e acessíveis para serem aplicadas dentro do sistema criado por ele, chamado GOER.

GOER significa GOAL, OUTLINE, ELABORATE e REFINE, que representam as quatro etapas da preparação, cada responsável por um estágio. Ao longo dos capítulos o autor nos apresenta a uma série de ferramentas muito úteis que ajudam na organização do trabalho e estimulam a criação além de refinar o resultado final.

Algumas dessas ferramentas são o “Five Why’s”, “Spider Diagram”, “Meaning Generator” e “Recall”, todas elas muito interessantes e que podem ser aplicadas a outras situações da vida também. Além dessas o autor nos apresenta a outros conceitos como o “A Time”, teoria que define em qual ou quais períodos do dia somos mais ou menos produtivos, e também aconselha (na verdade, considera fundamental e peca chave para a elaboração de uma boa apresentação) que o apresentador contate um membro da audiência e pergunte o que eles querem e esperam ouvir.

Citando o conceito “The Curse of Knowledge” do livro ‘Made to stick’, o autor argumenta que existe muitas vezes uma distância enorme entre o que queremos falar e o que eles querem ouvir. Uma das coisas que mais me surpreendeu e chamou atenção foi o que o autor chama de “School Essay Tecnique”, ou seja, o hábito que muitos de nós tem de redigir todo o conteúdo da nossa apresentação e depois recitá-la para a audiência. Coplin demonstra através de exemplos o quanto essa técnica é falha, pois nos leva a falar da maneira não natural, e também a estruturar o conteúdo de uma forma falha e incompatível com a natureza das apresentações.

Encontrei esse livro na biblioteca de Aylesbury, mas já está na minha lista de compras do Amazon. Na minha opinião é uma obra indispensável para qualquer pessoa ligada ao mundo dos negócios, seja ela um comunicador ou não. Mais uma vez, lamento não ter sido apresentado a este livro anos atrás quando ainda estava na Universidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário